6 Dicas para fazer fotos espontâneas das crianças


 Não diga “XIIIIS”! Não sei dizer direito em qual momento (nem com quem) as crianças aprendem a olhar para a câmera, tombar a cebecinha e dizer “Xiiiiiis”.

A primeira, a segunda, talvez até a terceira foto ficam fofas, mas depois… Ah, depois a gente passa a vida inteira assim: alguém aponta a câmera e, automaticamente, a gente tomba a cabeça e dá aquele sorrisinho. Tombar a cabeça por quê? Não sei, mas a gente 20faz…

Além disso, pedir que a criança pare o que está fazendo e faça uma coisa que você quer, mas ela não, é pedir que ela odeie ser fotografada.

O fato é que para as mães, elas querem seus filhos sorrindo nas fotos! Contudo, por mais fofa que seja a pose aprendida, não se compara a uma gargalhada ou a um sorriso espontâneo, daqueles de verdade, que expressam a alegria mais sincera.

Por isso, aqui vão algumas dicas:

  1. A cena é fofa? Não chame a atenção da criança… você pode registrar o momento acontecendo, sem que ela perceba. Insistir para que a criança olhe para a câmera pode quebrar completamente o clima ou acabar com a brincadeira.

IMG_1302

  1. Crie um vínculo, interaja com ela. Na medida em que a criança se interessa por você, o momento da fotografia se torna prazeroso. Além de mais divertido, você, provavelmente, vai conseguir expressões lindas e espontâneas.
  1. Criança não se importa em estar sob a luz ideal ao seu formato de rosto e nem no ângulo que favorece a composição da sua foto. Mas você consegue posicioná-las onde quiser, sem precisar pedir, se isso se tornar uma brincadeira.
  1. E por que insistir em reposicioná-las? Mova-se, explore o espaço em volta delas, abaixe, levante, busque ângulos e composições interessantes… você vai se surpreender com as fotos legais que vão surgir, sem a necessidade de pedir uma pose.
  1. Esteja na mesma altura. Ajuda na hora de estabelecer o vínculo e, de quebra, gera fotos esteticamente bonitas. Fotografando à altura dos olhos das crianças, você evita distorções por perspectiva, como cabeça grande demais para o corpo… (em tempo: existe a regra técnica, mas isso não significa que ela não possa ser quebrada. Quando intencional, a distorção pode ser divertida!).
  1. A mais importante de todas: não peça um sorriso, faça a criança sorrir. Conte uma historia, faça uma careta, provoque o sorriso! Funciona para os grandes e os pequenos!
  2. E se ficar difícil, chame um fotógrafo especializado em famílias, e divirta-se!